Player

quinta-feira, 19 de maio de 2016

JÓ 15:11

Porventura as consolações de Deus te são pequenas? Ou alguma coisa se oculta em ti?  

JÓ  15:11

MEDITAÇÃO: O que poderia ocorrer conosco nesta vida que Deus não tivesse a capacidade de nos consolar? Porque às vezes insistimos tanto em continuar sendo vítimas inconsoláveis ao invéz de identificarmos o cuidado de Deus para conosco e prontamente aceitar e agradecer por suas consolações? Jó vivia um grande dilema e seu amigo Elifaz argumenta sobre o ocorrido e tenta de maneira humana entender sem sucesso o processo de tratamento utilizado por Deus ao seu servo. Não no caso de Jó, mas em muitos casos, segredos trancados a “sete chaves”, mágoas profundas, raiz de amargura e outras situações ocultas internamente, acabam provocando um desconforto espiritual, um desequilíbrio harmônico e consequentemente a ausência de reconhecimento do agir de Deus em nós quando ele vem nos consolar. Temos que ter em mente que Deus se preocupa sim conosco, que somos importantes para ele e como um pai amoroso e bondoso cuida e zela pelo bem estar de seu amado filho, assim o Senhor cuida de nós. Se ainda existem dúvidas quanto ao amor de Deus por você, permita que o Espírito Santo sonde seu coração (Salmos 139:23, 24) e verás que aquilo que porventura estava oculto dentro de você interrompendo um processo de restauração, será colocado para fora e a ação soberana de Deus se manifestará promovendo uma sensível mudança para que haja o equilíbrio total em sua vida.

ORAÇÃO: Querido Deus, peço ao Senhor que sonde meu interior, assim como fizeste com teu servo Davi e veja se há em mim algum caminho mau, veja se há algo escondido que possa estar interrompendo teu agir em minha vida. Dá-me a capacidade de visualizar meus erros e humildade suficiente para reconhecer minha dependência de ti que é imprescindível para uma restauração completa e total. Clamo por teu agir e peço perdão por minhas falhas. Em nome de Jesus eu te agradeço desde agora e para sempre, Amém.


Sem comentários:

Publicar um comentário