Player

sábado, 9 de agosto de 2014

SALMOS 52:8

Quanto a mim, porém, sou como a oliveira verdejante, na casa de Deus; confio na misericórdia de Deus para todo o sempre. 

SALMOS 52:8

MEDITAÇÃO: As oliveiras possuem raízes poderosas e compridas que podem chegar a uma profundidade de 6 metros, através do qual têm sempre a possibilidade de obter água para o seu desenvolvimento. Não há como confiar plenamente no Senhor se nós como árvores não tivermos raízes profundas na palavra para saciar a nossa sêde(Jeremias 17:7,8).Outra peculiaridade da azeitona é a rica fonte de óleo e por isso que a palavra nos adverte que nossas vestes devem sempre ser brancas isto é, nossa conduta deve ser ilibada, nosso testemunho edificante, nosso caráter irrepreensível; a continuidade do texto também fala que jamais deverá faltar óleo sobre a nossa cabeça(Eclesiastes 9:8); óleo aponta para a unção do Espírito Santo imprescindível para uma vida de vitória e alegria. A madeira de crescimento lento da árvore é rica, com anéis cinzento-esverdeados e curtos. A oliveira (dependendo da variedade) chega aos 20 metros de altura. As árvores selvagens são mais baixas que as plantadas. As oliveiras em olivais são podadas para se manterem pequenas de forma a que a colheita dos frutos seja facilitada.Podemos deduzir com isso, que não adianta crescermos na casa de Deus sem que nossa vida como árvore não produza frutos porém, uma vez podados pela palavra (João 15:2,3) diminuiremos de tamanho, nossos frutos passam a ser acessíveis e Cristo poderá crescer em nós quando glorificado pelos frutos que produzirmos(João 3:30). Confie sempre nas misericórdias do Senhor pois elas não tem fim(Salmos 23:6). 

ORAÇÃO: Querido e amado Jesus, coloco-me a tua disposição para que minha vida seja canal de benção para outras vidas que precisam conhecer-te e experimentarem as delícias que procedem de ti. Que o óleo da alegria sempre flua em meu ser e que minha confiança jamais seja abalada, pois eu confiarei na tua misericórida desde agora e para sempre, Amém.


Sem comentários:

Publicar um comentário